Impressora robotizada.

Em 1982 uma impressora certamente custava uma pequena fortuna, sendo algo inacessível aos meros mortais. Então porque não criar uma “interface” para utilizar uma maquina de escrever eletro-mecânica?

Veja abaixo:

xu1541: Conecte o drive de um C=64 na USB

schema.gifO Commodore 64 não foi vendido no Brasil. No entanto, foi um micro bastante comum até mesmo em países aqui da América Latina, como a Argentina ou Chile. Em outros países norte-americanos ou europeus, dizem ser que foi o computador pessoal mais vendido de todos os tempos. De qualquer forma, mesmo não estando disponível aqui no Brasil, algumas pessoas o importaram à época ou recentemente, a título de coleção e curiosidade.

Um dos maiores problemas, entretanto, é que o formato do disco é proprietário. Mas o drive é bem interessante: é praticamente um computador por si só, com processador e memória RAM. Recebe as requisições do computador via interface serial, faz a leitura do disco e avisa o computador quando ele pode obter as informações. Interessante, embora de implementação lenta.

Por utilizar formatação proprietária no disco, estes não podem ser lidos em PC, salvo hardware adicional (hoje difíceis de serem encontrados). Soluções para o problema existem várias. Cabos que simulam um drive e que usam um PC como um drive é uma delas.

photo.jpgA outra é utilizar a interface “xu1541”, que permite ligar o drive original da Commodore em uma máquina recente, com porta USB. Ainda não suporta todos os modos de funcionamento do disco, mas interfaces seriais RS-232 e paralelas estão cada vez mais escassas — esta pode, então, ser a solução definitiva para quem possui tal computador. Esta interface é completamente aberta: todo o esquemático, “chapeado”, firmware para o AVR e software para o PC podem ser obtidos de graça do site do autor do projeto.