Analisador de espectro caseiro

IdWARF 2.4Ghz ModuleUma das vantagens (na minha opinião) de se ler notícias e atualizações via RSS é o fato de tudo ficar condensado em um lugar só… se o autor é bom e o post parece interessante, é só clicar no link pra ver ele por inteiro… se não for, é só passar pro próximo sem perder muito tempo… isso, e também o fato de, quando voce lê varias coisas de várias fontes, as vezes coisas interessantes aparecem próximas umas das outras, levando a coisas MAIS interessantes.

Hoje lhes trago uma dessas coisas MAIS interessantes, que surgiu na minha mente de dois posts distintos que eu vi, de fontes totalmente desconexas, e que apareceram um após o outro nos artigos diários. São duas coisas muito interessantes, e que se colocadas juntas tem o potencial de criar alguma coisa ainda melhor!

A primeira idéia é a de um analisador de espectro caseiro (para a Homemade Spectrum Analizerbanda 2.4Ghz ISM) [link].

A Cypress resolveu fazer alguns transceivers 2.4Ghz, prontos para voce integrar em seu circuito e ter comunicação instantânea entre vários nodes diferentes. Basta adicionar o microprocessador (ou nem isso: existe uma placa com um chip da Atmel semelhante, que inclusive já vem com um ATMega168 [link]), e pronto, rede de sensores instantânea!

O interessante destes chips de “2.4 Ghz in a box” é que eles geralmente tem registradores que indicam a potência do sinal em determinada freqüencia. O da Cypress que o autor utilizou permite medir a intensidade de potência em 32 niveis em intervalos de 1 Mhz. Usando uma interface bit-bang SPI na porta paralela, tem-se um analisador de espectro doméstico. O único problema desta solução é que portas paralelas são feitas para conversar com dispositivos legado, que começaram a surgir na época que Mbps era algo como velocidade da luz das comunicações. Assim, o produto final consegue aproximadamente 20 varreduras/segundo.

O autor termina o artigo sugerindo que se use algum microcontrolador, ou portas GPIO de algumas placas embarcadas para uma solução melhorada… e eis que, qual foi o próximo artigo a surgir no meu leitor?

ICNova BoardIC-Boards lançou uma nova placa, chamada ICnova, baseada no chipset AP7000, um processador da linha 32bits da Atmel. Esta placa já vem com uma versão do nosso querido sistema operacional do pinguim instalada, mais 8Mb de memoria flash, 64Mb de ram, uma controladora usb-device, ethernet, e uma enorme gama de GPIOs/periféricos disponíveis (entre eles SPI!) em headers 1mm.

Eu tenho alguma esperiência com processadores dessa linha, já que trabalho um pouco em cima da NGW100 (a irmazinha mais velha e mais forte da ICnova). São placas que rodam linux embarcado, com acesso a inúmeros periféricos. Uma das outras placas-exemplo desta linha de processadores, a STK-1000, tem até um display de LCD colorido (e sim, é possivel rodar X nele!) e entrada PS/2 (para mouse/teclado). Existem patches do kernel do linux pra esses processadores, e essa placa deve funcionar facilmente com eles, além de permitir que se crie inumeras coisas com ela.

Fora o fato da placa já ter rodando, da caixa, SSH, DHCP, um web-server (na NGW100, a documentação da placa vem dentro do webserver da mesma!), entre as funcionalidades que eu posso citar estão I²C, RS-232 (no microprocessador existem 4, mas sua disponibilidade depende de como a placa foi construida), controlador de LCD, controlador de cartão SD/MMC, controlador ethernet (o chip tem duas, mas novamente sua disponibilidade depende da placa), usb-device, GPIOs o bastante para ligar qualquer coisa que eu já imaginei (e olha que a minha imaginação é razoável!), e SPI!

Epa… placa com Linux embarcado.. SPI… modulo de comunicação 2.4Ghz.. analisador de espectro… Alguém entendeu a minha linha de pensamento? Com uma placa dessas, dá pra fazer facinho um analisador de espectro caseiro em 2.4Ghz dedicado, por pouco mais de 100 euros! Bom, é desnecessário dizer, mas, com uma placa dessas dá pra fazer MUITO mais coisa do que isso também! Mas fica a ideia.. alguem se aventura? eu to pensando seriamente em comprar um desses modulos da Atmel e ligar na placa que eu já tenho, só pra ver o que pode sair disso!

Ahh, e a contribuição do nosso amigo AcidX, dono deste que voces leem e meu gentil anfitrião da noite.. Por que não aproveitar que já está mexendo com SPI, e fazer o display do analisador em um destes displays de celulares Nokia, que todo mundo tem usado em projetos ultimamente?

 Abraços a todos.

Comments (3) left to “Analisador de espectro caseiro”

  1. marcos wrote:

    eu quero aprender a fazer um aeromodelo

  2. LUCIANO DE SOUSA CARVALHO wrote:

    sim

  3. J.bosco wrote:

    Eu admiro muito vcs amantes da eletônica,sucesso a todos!

Post a Comment

*Required
*Required (Never published)